Byafra, O Cantor

No Ar, No Ar

Byafra iniciou a carreira profissional no começo dos anos 70, ainda como Biafra. Na cidade de Niterói, Rio de Janeiro, fundou com alguns amigos, uma banda chamada “O Circo” e passou a se apresentar com o grupo em Niterói, no Rio de Janeiro e no interior do Estado, ganhando cada vez mais destaque até ser contratado pela importante Gravadora CBS e gravar seu primeiro disco, em 1979, intitulado “Primeira Nuvem”, trabalho que trazia “Helena” seu primeiro grande sucesso no disco, faixa que virou tema da novela “Marron Glacê” (Rede Globo, 1979-1980).

ANOS 70

Anos 70

Anos 70

Em 1979 com um disco intitulado “Primeira Nuvem”, este primeiro trabalho solo emplacou sucessos como “Barcos e Navios” e “Helena”, música que virou tema da novela “Marron Glacê”, da Rede Globo de Televisão.
Neste disco, ainda na companhia da Banda “O Circo”, Byafra fez um trabalho primoroso, haja vista que além dos sucessos que colocou nas rádios, destacou músicas como “Nova Estrela”, “Primeira Nuvem”, “bandido Solitário” e “Riacho Solidão”.

ANOS 80

Anos 80

Anos 80

Em 1980, lançou “Biafra”, e colocou nas rádios o sucesso “Uma Vez e Nunca Mais”, música que se tornou o carro-chefe do disco, embora canções como “Toda Sua Luz” seja uma das mais belas músicas já cantadas por Byafra, não só pela letra cortante sobre a perda e a saudade do grande amor, mas porque Byafra imprimiu emoção adequada à canção. Outros destaques foram “Dor da Solidão”, canção que faz parte da compilação da Universal de 1998, e “Avenida Central”, gravada originalmente pela banda Os Lobos.
O trabalho de 1981, chamava-se “Despertar”. Com ele, Byafra ganhou seu primeiro disco de ouro e colocou a música romântica em destaque nas rádios brasileiras. “Leão Ferido” e “Vinho Antigo” , que virou tema de novela, são os grandes destaques deste disco, mas a faixa-título ( “Despertar”, de Salu) também despertou o interesse do público. Por conta deste disco tão bem sucedido, Byafra ganhou vários prêmios, como o Troféu Destaque do ano do Sistema Globo de Rádio.
O Disco de 1982, tinha o título de “Menino” e a canção “Jogo Aberto” foi o maior destaque deste trabalho, tocando bastante nas rádios do Brasil. Outra música que os fãs gostaram muito neste disco foi “Amigos”. O disco também teve boas surpresas como a gravação de “Como Nossos Pais”, de Belchior, e uma gostosa música de Flávio Venturini, intitulada “Barca do Amor”, além de uma faixa em parceria com o amigo Dalto que fez sucesso nas rádios: “Navio Pirata”.
Em 1983, Byafra lançou um disco intitulado simplesmente “Biafra”, que é uma raridade hoje em dia. Finamente cantado e elaboradamente tocado, o trabalho trouxe apenas cinco canções inéditas e outras cinco eram sucessos dos discos anteriores. Das inéditas, destaque para: “Cinema” e “Mar da Guanabara” e “Mil e Uma Noites”. Em 1983, sob a forma de compacto, Byafra lançou a canção “Aguardente”, que virou tema da novela “Voltei Pra Você”, da Rede Globo.
Em 1984, Byafra voltou a repetir o sucesso de 1981. A bela “Sonho de Ícaro” foi decisiva na carreira do cantor, uma vez que o colocou nos primeiros lugares nas paradas de sucesso e causou um “revival” em sua trajetória, dado que muita gente procurou seus trabalhos anteriores. O disco chamava-se “Existe Uma Idéia” e ainda destacou “Realeza” e “Aguardente” que já era anterior ao disco (foi o compacto do trabalho, juntamente com a faixa-título).
O sucesso de Byafra continuou em 1985 com “O Sonho Deve Ser”, que trouxe a música “Seu Nome” (outro tema de novela: “A Gata Comeu”, da Globo), tornando Byafra um dos ícones mais populares da rádio e da televisão brasileira no quesito música. A Discoteca do Chacrinha, que há muito apresentava o seu trabalho, impulsionou mais ainda a sua carreira. Após “Seu Nome” o destaque foi “Outra Forma de Paixão”. “FM” e “No Meio do Deserto” também foram executadas nas rádios.
Com “Toque” de 1986, Byafra homenageou um grande amigo: Oberdam Magalhães (parceiro em “Aguardente”, de 83). A faixa “Guerra Fria” (de Byafra e Nilo Pinta), um canto sobre a estupidez de todo governante e de todos aqueles que promovem as guerras, foi o destaque deste trabalho que trouxe uma música de Guilherme Arantes (“Carne e Osso”), autor que Byafra não gravava desde 1981. Outros destaques foram: “Carrossel” e “Jeito de Ser”.
O disco do ano seguinte (“Biafra”, de 1987) foi produzido por um grande nome da música brasileira: Guto Graça Mello. O trabalho emplacou sucessos como “Estrelas No Ar”, de Piska e Rabello (os mesmo compositores de “Sonho de Ícaro”), a bonita “Até o Fim” (Piska/Byafra), numa parceria inédita com Sandra de Sá. Outra parceria do disco foi com Pepeu Gomes na faixa dançante “Bom Demais”. No ano do lançamento, Byafra gravou um especial do Amaury Jr. destacando este disco e sua carreira.
Em 1989, foi o ano de “Biafra”, disco pelo selo Esfinge de São Paulo. Neste trabalho, “Na Hora H” (Byafra/Aloysio Reis/Nilo Pinta), uma balada pop sobre a provocação de uma amante ardilosa, fez sucesso. Outra faixa que tocou bem nas rádios e televisão foi “Deixar de Ser Brinquedo”, de Byafra e Piska e “Só Você”, música que fez muito sucesso no nordeste do Brasil. Em 1992, Byafra voltou a gravar algumas faixas deste disco e um destes destaques é a canção “Água Marinha”.

ANOS 90

Anos 90

Anos 90

Em 1990, com direção da produção e arranjos de Roberto Menescal (outra fera da música brasileira), Byafra lançou “Minha Vida de Artista” que trouxe outro tema de novela (“Barriga de Aluguel”, Globo): “Machuca e Faz Feliz”, versão dele para música de James Taylor e uma gravação primorosa de “Todo Sentimento”, de Cristóvão Bastos e Chico Buarque. Este foi um trabalho de revisita para antigos sucessos como “Helena”, “Leão Ferido”, “Vinho Antigo”, “Sonho de Ícaro”, “Realeza” e “Seu Nome”.
“Anjo da Guarda” foi o título do disco de 1992 e o grande sucesso do trabalho foi “Te Amo”, tema da novela Salomé, da Rede Globo, que já fazia sucesso na voz de Byafra antes mesmo dele lançar este disco. O disco abria com a canção “Relâmpago”, faixa que tocou nas rádios e rendeu apresentações na televisão. No ano seguinte, Byafra colocou outra música em sucesso: “Fantasia Real”, tema de Tonho da Lua, um forte personagem da novela “Mulheres de Areia”, de 1993).
Com “Infinito Amor” disco de 1994, Byafra lançou Jorge Vercilo como compositor (na faixa-título em parceria com Jota Maranhão) e o pernambucano Lenine (“Paixão Passageira”), mas foi “Perdões” que fez o maior sucesso neste disco, embora se possa destacar a faixa “Horas Acorrentadas” (versão de Aldir Blanc). A exemplo de 1987, Byafra contou com participações de outros artistas, como Margareth Menezes, (“Maria e João”) e Chrystian e Ralf (“Não Basta”).
Em 1998, Byafra lançou o CD “Ícaro” com antigos sucessos de sua carreira e músicas inéditas como a sonora “Moldura” (Nilo Pinta/Byafra/Aloysio Reis), a poética “Dom Quixote” (Byafra/Cássio Tucunduva) e uma regravação da célebre “Rua Ramalhete” (Tavito/Ney Azambuja), esta com participação especial do grupo Roupa Nova. O CD serviu para colocar Byafra (agora já com Y ao invés de I) de novo nas paradas de sucesso após quatro anos sem lançar discos. O CD traz sucessos antigos do artista.

ANOS 2000

Anos 2000

Anos 2000

Em 2002, foi a vez do CD “Segundas Intenções”, com destaque para “Flashback” (uma regravação de um grande sucesso de Dalto), “Passava Por Aqui”( versão de Aloysio Reis e Byafra), “Rasa”, de Jorge Vercilo, “Pra Onde o Amor Levar” (Nilo Pinta/Byafra/Aloysio Reis), “Segundas Intenções” (Torcuato Mariano/Byafra/Aloysio Reis) sem contar com “Jardim”, faixa que tocou mais nas rádios. O CD mostra um Byafra maduro, mas com o mesmo som consistente que permeiou sua carreira.
Com tantos discos de sucesso, o cantor poderia estar sentado à beira do caminho recebendo dividendos de seu trabalho, mas Byafra continuou sua vida de música e investiu fortemente em shows por todo o Brasil, o que o fez desaparecer da mídia, embora, na verdade, a mídia é que deixou mesmo de investir em programas de auditório, como era comum nos anos 80.
Com um trabalho consistente e regular, Byafra teve várias músicas incluídas em novelas, como “Helena” em 1979, “Vinho Antigo”, em 1981, “Aguardente”, em 1983, “Seu Nome”, em 1985, “Machuca e Faz Feliz”, em 1990, “Te Amo”, em 1992, todas estas em novelas da Globo e pôs “Cinema” em novela do SBT (Rosa Selvagem)
“Fantasia Real” (novela “Mulheres de Areia) foi feita especialmente para o Byafra por Danilo Caymmi e Dudu Falcão, cujo registro foi marcante como tema de Tonho da Lua, personagem de Marcos Frota. A exemplo desta, “Antes que eu te Esqueça”, tema de “Quem é Você”, folhetim da Rede Globo do ano de 1996 também fez muito sucesso nos anos 90.
Como todo artista de carreira relevante, Byafra foi homenageado várias vezes pelas gravadoras em disco especiais sobre sua trajetória, além de colocar músicas em várias compilações lançadas no Brasil e no exterior. A crítica indica como fator relevante para uma carreira de sucesso ter músicas lançadas em compilações importantes.
O primeiro disco especial de Byafra foi lançado em 1984, acompanhado o estrondoso sucesso da música “Sonho de Ícaro”, provavelmente um dos maiores fenômenos de execução das rádios brasileiras até hoje. O disco tinha um nome peculiar: “Série Aplauso: O Melhor de Biafra” e realmente neste momento o cantor vivia sob aplausos do público e da crítica.
Depois veio coletâneas de várias gravadoras, como a de 1994, da Série “A Popularidade de…” e a da Série Brilhantes da Gravadora Universal, lançada no ano de 1998. Nesta coletânea dois sucesso do disco de 1983 (pouco conhecido do público) fez bastante sucesso: “Cinema” e “Mil e Uma Noites”, esta música composta por Flávio Venturini.
Desse modo, Byafra construiu uma trajetória de sucesso e, desde o menino magrinho que tocava flauta doce até hoje, os apreciadores da boa música têem sido premiados com um trabalho cuidadoso, bem elaborado e, sobretudo, fiel. Nos dias de hoje, Byafra tem dedicado seu tempo a premiar fãs com shows e apresentações intimistas por todo o Brasil.

Raí T. Rio

Raí T. Rio é o idealizador, criador e editor do Portal Byafra.


Deixe Seu Comentário

Outros Artigos Interessantes